Como estimular a criatividade no ensino infantil

Os professores estão sempre em busca de boas ideias para estimular a criatividade no ensino infantil, então vamos apresentar algumas iniciativas inspiradoras. O estudo Buenos Días Creatividad, divulgado pela Fundação Botín, revela que a ausência de atividades criativas pode aumentar em até cinco vezes as chances de um jovem, a partir dos 26 anos, tornar-se dependente de ajuda financeira. Para evitar que isso aconteça com seus alunos, os professores podem estimular a criatividade deles  ainda na infância.

A criatividade é um traço natural das crianças, entretanto em determinados momentos da infância os pequenos podem começar a reprimir essa característica. Isso pode ocorrer por medo de críticas, julgamento, falta de aceitação e até  devido a comparações com outras crianças. A pesquisadora sueca Martina Leibovici-Mühlberger, doutora em questões de família, afirma que as habilidades criativas podem ficar adormecidas, daí a importância de os professores não permitirem que isso aconteça, estimulando a criatividade no ensino infantil.
 

A importância de formar crianças mais criativas


A criatividade, no entanto, não depende só dos professores. Também é papel dos pais e da família incentivar a imaginação dos pequenos e promover atividades para o seu desenvolvimento, por meio de brincadeiras, jogos, contação de histórias e também da tecnologia. No post 3 ferramentas para estimular a criatividade no ensino infantil nós citamos alguns exemplos de boas práticas ludopedagógicas para o desenvolvimento criativo dos pequenos.

A professora Kyung Hee Kim, que ministra psicologia da educação numa escola norte-americana entrevistou cerca de 300 mil adultos e crianças dos Estados Unidos e identificou que nos últimos 20 anos as crianças passaram a demonstrar menos as suas emoções, expondo menos suas opiniões e por consequência reprimindo também a criatividade. Por outro lado, crianças que se envolveram em atividades criativas, como uma simples aula de educação artística, aumentaram em 15,4% a probabilidade de engajamento com o voluntariado e ampliaram para 8,6% a chance de criar amizades mais sólidas. Esses dados foram levantados pelo professor James Catterall, da Universidade da Califórnia, reforçando os benefícios do fomento da criatividade no ensino infantil.
 

Exemplos de fomento à criatividade no ensino infantil


Ler e [email protected] é só começar – A professora Bruna Sanches estimula a criatividade por meio da releitura de livros infantis. O objetivo é trabalhar a leitura e a imaginação dos pequenos, promovendo a autonomia e tornando os alunos protagonistas do processo de aprendizagem. A atividade é simples, a professora apresenta semanalmente um baú de livros aos estudantes, uma criança é sorteada para escolher um livro e representar a sua história em conjunto com os colegas. As apresentações são feitas em teatro, vídeos, maquetes ou qualquer outro meio. O projeto resultou em melhorias na leitura, escrita e ainda contribuiu para deixar as crianças mais seguras e confiantes. Que tal você colocar em prática uma iniciativa como essa para fomentar a criatividade no ensino infantil?  

Projeto Livro Livre – O projeto Livro Livre é um case de estimulo à criatividade também no âmbito da literatura. A iniciativa que incentiva a leitura e a responsabilidade ambiental resultou no lançamento de seis livros, fruto da criatividade das crianças, que foram desafiadas a criar estrofes e versos inspirados em palavras iguais com vários sentidos. Para estimular a criatividade no ensino infantil os professores podem aguçar o interesse das crianças de várias formas, a polissemia foi a estratégia usada para que esses estudantes brinquem de poesia. Você também tem alguma ideia que pode despertar a criatividade dos pequenos?

Escolinha de Arte do Brasil – Foi um case brasileiro que figurou no Buenos Días Creatividad e é reconhecido como uma referência da educação artística nacional. O ensino das artes pode fomentar a criatividade no ensino infantil ao deixar que as crianças se expressem livremente, revelando a sua imaginação e favorecendo o desenvolvimento da comunicação pessoal e da inclusão. Uma vez que não existem padrões pré-estabelecidos, todas as criações são aceitas e devem ser valorizadas. Você também aproveita o ensino de artes para aguçar a criatividade dos seus alunos? Compartilhe conosco as suas experiências.

Lembre-se que a tecnologia pode ser inserida em todos os exemplos que apresentamos aqui, prova disso é que a mesa digital fará parte do Projeto Livro Livre neste ano. A ferramenta conta com aplicativo de leitura e contação de histórias, que contribui para despertar a criatividade no ensino infantil. Com a tecnologia a criança pode explorar o cenário das histórias, facilitando sua capacidade de compreensão de texto. A mesa digital também possui o aplicativo Desenho Livre, onde os estudantes podem compor suas obras artísticas com lápis, pincel, balde de tinta e texturas digitais.

Cristiano Sieves

Especialista em Ludopedagogia

Especialista em Ludopedagogia para Educação Infantil e anos iniciais e autor de livros infantis, tem mais de 10 anos de experiência desenvolvendo jogos e games na área de Educação. Atualmente é Gerente de Marketing e Produtos na Playmove.