Blog Aprender Brincando Blog Aprender Brincando
21 mar

Projeto Livro Livre: um case de incentivo à leitura

Boas práticas ludopedagógicas incentivo à leitura

Unir literatura e tecnologia foi a estratégia escolhida pelo Projeto Livro Livre para despertar o  interesse e o prazer pela leitura nas crianças. A iniciativa surgiu em 2006, na cidade de Blumenau, em Santa Catarina, e ao completar 10 anos já distribuiu 500 mil livros infantis e juvenis, beneficiando cerca de 120 mil crianças e fomentando o incentivo à leitura.

O Projeto Livro Livre é uma iniciativa do Instituto Evoluir que conta com o apoio da PlayTable, que pretende viabilizar às crianças das escolas públicas a conquista do seu livro como patrimônio cultural pessoal de forma permanente. O objetivo é alcançado por meio da troca de material reciclável. As crianças separam a matéria-prima, como: jornais e revistas, latas, vidros e cada quilo acumulado é trocado por uma obra literária. Ao mesmo tempo em que promove o incentivo à leitura, a iniciativa também estimula a responsabilidade ambiental.

Mesa Digital leva interação ao projeto Livro Livre

Ao completar 10 anos, o projeto Livro Livre oferece um diferencial: a parceria com a PlayTable,  a primeira mesa digital com jogos educativos do Brasil, que levará para as salas de aula uma experiência lúdica e interativa de leitura por meio da contação de histórias.. As mesas digitais Playtable irão circular entre as escolas municipais de Jaraguá do Sul, Guaramirim e Corupá, em Santa Catarina, para atrair a atenção dos nativos digitais. A ação de incentivo à leitura permitirá que os estudantes interajam com as histórias por meio da tecnologia.

A mesa digital conta com o aplicativo Contador de Histórias, que leva para a sala de aula um pedacinho de cada autor, já que os livros são narrados por eles mesmos. São obras que valorizam a cultura, despertam para a preservação ambiental e contam histórias e casos reais que aconteceram nas cidades onde o projeto atua. Além do incentivo à leitura a ferramenta também promove a acessibilidade de crianças com deficiência, contribuindo para o seu desenvolvimento cognitivo e socioemocional, e formando pequenos leitores desde cedo.

Vamos brincar de poesia?

Você sabe o que acontece quando um professor desafia seus alunos a colocarem a mão na massa? Ele contribui para transformar a educação, ampliar a visão de mundo e apresentar novas oportunidades às crianças. Foi o que aconteceu com os Escritores da Esperança, que estavam criando um dicionário de polissemia, para explorar os significados das palavras, uma atividade que também propunha o incentivo à leitura. A escritora Cristina Marques os desafiou a formarem poesias com polissemia, os pequenos ficaram entusiasmados com a possibilidade, que resultou no livro “Vamos brincar de poesia”.

O desafio estimulou o desenvolvimento de competências socioemocionais nos pequenos, que relatam o quanto foi divertido escrever um livro colaborativo e demonstram alegria ao expressar seus sentimentos por meio da poesia. Com estrofes e versos as crianças pretendem inspirar outros estudantes a se tornarem protagonistas no campo da literatura, além de promover o incentivo à leitura. Além do livro “Brincando de Poesia”, dos Escritores da Esperança, o projeto Livro Livre 2016 está lançando também outros obras: “A terra dos gigantes” e “Tonico”, de Silvio Celeste Bard; “Colcha de histórias”, de Tânia Maria da Silva; “O menino sonhador”, de Sueli Spezia Lamin e Claudia Duarte Zapelini; “Os castelos das letras”, de Cristina Marques; “Romieta e Julieu” e “O Trem e a Estação”, de Leoni Cimardi; “Jambo”, de Valcíria Lana de Souza; “Téo e o Tatu”, de Nenno Silva e “O Jardim do Gílio”, de Simone Giacomozzi.

A literatura, o lúdico e a tecnologia

A professora Cristina Marques, que também é presidente do Instituto Evoluir, ressalta que a mesa digital promove o hábito da leitura entre os nativos digitais, ao mesmo tempo em que provoca a interação e torna o momento mais lúdico. Como o projeto Livro Livre une o incentivo à leitura ao cuidado com o meio ambiente, também promove o equilíbrio entre a leitura digital e a tradicional, proporcionando às crianças a experiência de manusear um livro.

Mas, não é segredo para ninguém que a tecnologia atrai muito a atenção dos pequenos, por isso o aplicativo Contador de Histórias, da mesa digital, torna-se um importante aliado no incentivo à leitura. A tecnologia pode fazer o processo de aprendizagem ser mais divertido, prazeroso e eficiente, tornando as crianças mais curiosas, observadoras, comunicativas, concentradas e comprometidas.  É a tecnologia sendo usada para transformar a literatura em algo mais lúdico e atraente.

Se você conhece algum outro case de incentivo à leitura compartilhe conosco nos comentários.

 

Comentários

  • Walter Alvim de Albuquerque

    “Biblioteca Livro Livre”
    Na minha cidade fizemos uma Biblioteca na Praça, aberta a todos, que fica 24 horas por dia disponível. Não tem ninguém tomando conta, nem livro de registro ou cadastro. Totalmente livre. As pessoas podem ler na praça, levar o livros prá casa e devolver quando terminar a leitura e ainda “libertar” seus livros aqui. Foi muito bem aceita pela população. Se você pode contribuir com algum livro que está preso em sua estante, faça contato conosco. Fica na Praça da Biquinha, na cidade de Carbonita em MG. Veja: https://www.facebook.com/bibliotecalivrolivre/

Receba as nossas novidades

a gente promete só enviar notícias legais! ;)