Blog Aprender Brincando Blog Aprender Brincando
14 abr

Ludopedagogia na matemática: um exemplo de sucesso

Boas práticas ludopedagógicas Ludopedagogia na matemática: um exemplo de sucesso

Você sabia que no Brasil 90% dos estudantes concluem o ensino médio sem o aprendizado adequado de matemática? No entanto, o problema começa bem mais cedo, ainda no ensino infantil e primeiros anos do ensino fundamental, quando as crianças começam a aprender as operações matemáticas. Neste post, vamos apresentar um exemplo de como a ludopedagogia na matemática pode transformar o ensino dos números e equações.

O pesquisador francês Gerárd Vergnaud, referência no ensino de matemática, afirma que é comum as crianças enfrentarem dificuldades para compreender o conceito matemático, por isso, cabe ao professor usar métodos variados e ferramentas que simplifiquem o aprendizado. Segundo Vergnaud, se o professor desenvolve uma única atividade e as crianças não conseguem compreendê-la, elas facilmente perdem o interesse e a vontade de resolver os desafios. Com a ludopedagogia na matemática, o ensino pode se tornar mais atrativo e interessante para os pequenos.

O Círculo da Matemática do Brasil

O casal de professores Robert e Ellen Kaplan, da Universidade de Harvard, criou um método de ensino participativo, chamado de “The Math Circle”, em português O Círculo da Matemática, que estimula a ludopedagogia na matemática. A abordagem foi criada com o propósito de descobrir como seria se os estudantes gostassem da disciplina e se a intuição matemática fosse cultivada de modo lógico, lúdico e participativo, com crianças sem medo de errar e pensar o infinito.

O foco deste método que incentiva a ludopedagogia na matemática são as crianças dos anos iniciais e ensino fundamental porque o casal Kaplan defende que as novas teorias da educação, baseadas na neurociência, mostram como a eficácia do ensino da matemática é maior nos primeiros anos da vida escolar. Segundo Ellen, a matemática está envolvida no mito de que é uma disciplina chata e isso afeta a forma como os estudantes pensam sobre ela e, por consequência, a forma como os professores a ensinam.

Como aplicar a ludopedagogia na matemática

Para potencializar a ludopedagogia na matemática, o casal Kaplan adaptou a metodologia do Círculo da Matemática ao contexto brasileiro e capacitou professores que atuam em escolas públicas das cinco regiões do Brasil. Hoje, dez cidades oferecem o Círculo da Matemática, no qual são aplicadas as seguintes abordagens:

1) O perguntar incessante – Nunca diga as respostas aos alunos, deixe que eles encontrem o resultado. Até que isso aconteça, continue perguntando, da forma correta, com as perguntas corretas, paciência e estímulo. Lembre-se que o propósito é aplicar a ludopedagogia na matemática, por meio da interação, participação e diversão.

2) Ouvir de verdade - Tudo deve ser ouvido e registrado porque o foco está na qualidade do processo. Os elogios não devem ser pelas respostas certas, mas pela participação.

3) A organização do quadro – Deve ter flexibilidade, manter o raciocínio principal com auxílio de anotações, sem subdivisões, sempre mantendo a lógica.

4) O erro – Lembre-se que o erro é bom e as questões erradas podem ser um ponto de partida para chegar ao resultado certo.

5) Estratégias inclusivas – Todos precisam participar, portanto, busque cativá-los, respeitando a diversidade das crianças.

6) O fim – Encontrar um resultado matemático não é o fim ou o objetivo de tudo, o que deve ser enfatizado para as crianças é a construção do processo e o que foi feito para alcançar o resultado.

7) Os nãos – Tire o foco das sessões de cópia do quadro, as crianças precisam pensar, não apenas copiar. Então, não seja escravo dos conteúdos, a prioridade é estimular o interesse das crianças para pensar matematicamente.

8) As sutilezas – O professor deve estimular a imaginação das crianças e o que elas estão sentindo.

O Círculo da Matemática tem conquistado as crianças. A estudante Maria Clara Barbosa Rodrigues, de 7 anos, disse ao G1 que gosta muito de matemática porque é divertido. Segundo a jovem, as pessoas que acham a disciplina chata têm essa impressão porque não conhecem os números. Quando os professores inserem a ludopedagogia na matemática, incentivam as crianças a aprender brincando, como descrevemos no post tabuada lúdica, que descreve como ensinar os primeiros conceitos da matemática por meio do faz de conta.

Você conhece outro exemplo de sucesso da ludopedagogia na matemática? Compartilhe conosco nos comentários.

Comentários

Receba as nossas novidades

a gente promete só enviar notícias legais! ;)