Blog Aprender Brincando Blog Aprender Brincando
08 mar

O ensino de competências socioemocionais com o uso da tecnologia

Gestão do ensino infantil O ensino de competências socioemocionais com o uso da tecnologia

Durante muitos anos, o modelo de ensino se limitou à transferência de informações do professor para o aluno, aplicação de exercícios e avaliação por meio de provas. Porém, nos dias de hoje, o simples fato de decorar conteúdos já não basta, é preciso saber como aplicar o aprendizado no dia a dia. É aí que entra o ensino das competências socioemocionais, que são habilidades essenciais tanto para o sucesso escolar, quanto para a vida adulta.

Segundo a UNESCO, a educação para o século 21 deve estar fundamentada em quatro pilares: aprender a ser, aprender a conviver, aprender a conhecer e aprender a fazer, que traduzem uma educação mais integradora. A professora Maria Regina dos Santos, que também atua como supervisora de ensino da Secretaria de Educação de São Paulo, argumenta que formar crianças nos dias de hoje exige o desenvolvimento de um conjunto de competências socioemocionais, para viver e trabalhar num mundo cada vez mais complexo. A educadora explica que o século 21 requer conhecimentos que vão além da base curricular tradicional, para formar integralmente os cidadãos.

Como evoluir com o ensino de competências socioemocionais

O Programme for International Student Assessment – PISA é uma iniciativa que avalia a educação em diversos países do mundo. Em 2012, o Brasil ficou em 58º em matemática, 55º em leitura, entre 65 participantes. O resultado demonstra que a educação brasileira tem muito a melhorar e o ensino de competências socioemocionais pode alavancar a aprendizagem, beneficiando estudantes e aumentando a qualidade da educação.

Segundo o Instituto Ayrton Senna, o ensino de competências socioemocionais engloba diversos aspectos cognitivos, como: responsabilidade, colaboração, comunicação, criatividade, autocontrole, pensamento crítico e resolução de problemas. São características que não estão diretamente ligadas ao desenvolvimento escolar, mas que podem impactar significativamente na aprendizagem e na formação pessoal e cidadã dos estudantes.

O jornalista Paul Tough, autor do livro Uma questão de caráter, afirma que as competências socioemocionais são habilidades que podem ser aprendidas, praticadas e ensinadas, tanto no ambiente escolar, como em casa. Ou seja, não é só uma responsabilidade da escola, mas também dos pais e familiares estimularem características que acompanharão as crianças em sua vida adulta, como otimismo e resiliência, por exemplo.

Como a tecnologia facilita o ensino competências socioemocionais

As competências socioemocionais interferem de forma direta ou indireta em diversos aspectos da vida e são essenciais para tornar as crianças de hoje em adultos felizes amanhã. São habilidades que vão além do português ou da matemática, envolvendo trabalho em equipe, estabilidade emocional, independência, coletividade e até saber lidar com as frustrações, com o sucesso e desenvolver a autoestima, entre outras aptidões.

A tecnologia também é uma alternativa eficiente para promover a inclusão, que é uma questão extremamente relevante para o ensino de competências socioemocionais. Aprender a conviver com as diferenças, conhecer outros modelos sociais e aprimorar a linguagem são apenas alguns benefícios da educação inclusiva. Atualmente existem várias tecnologias que contribuem para a inclusão de deficientes e estimulam a convivência.

Com o uso da tecnologia é possível trabalhar as competências socioemocionais de forma lúdica, por meio de jogos e brincadeiras. A mesa digital é uma alternativa que pode ser usada para o desenvolvimento de diversas habilidades, como raciocínio lógico, memorização, atenção, paciência, criatividade, resolução de problemas, linguagens de expressão e coordenação motora. Enquanto brincam, as crianças de desenvolvem e estreitam vínculos afetivos, emocionais e sociais.

Os jogos digitais atraem muito a atenção das crianças, esse interesse os torna uma ferramenta eficaz para promover desafios e estimular as competências socioemocionais. O simples ato de resolver os desafios proposto pelos games, pode tornar os pequenos mais curiosos, observadores, comunicativos, concentrados e comprometidos. Mas, para que a tecnologia fomente o desenvolvimento de competências socioemocionais é preciso que as ferramentas escolhidas tenham um propósito educativo e estejam inseridas no contexto pedagógico.

Qual método você usa para o ensino de competência s socioemocionais? Compartilhe a sua experiência nos comentários.

Comentários

Receba as nossas novidades

a gente promete só enviar notícias legais! ;)