Blog Aprender Brincando Blog Aprender Brincando
17 abr

Cinco bons exemplos de inovação pedagógica aplicadas no Brasil

Boas práticas ludopedagógicas playtable-grupo2

Quem é professor, já percebeu: nos últimos anos novas ferramentas de ensino estão ganhando espaço nas salas de aula e inovações pedagógicas já ganham adeptos em todo o país. De ideias que revolucionaram totalmente ou complementam a metodologia tradicional, as iniciativas são variadas e podem ser adaptadas de acordo com a realidade de cada escola.

Você vai conhecer em seguida cinco bons exemplos de inovações no ambiente pedagógico que podem ser colocadas em prática. Veja quais delas podem ser utilizadas na sua escola ou servir de inspiração para o trabalho:

  • Movimento maker: a cultura do faça você mesmo é o que move esse movimento. A ideia é que os professores assumam um papel de auxiliares neste processo e que os próprios alunos criem projetos de acordo com o que aprendem em sala de aula. A tecnologia é uma grande aliada desse tipo de ação- e a  impossibilidade de investimento em ferramentas como impressoras 3D e softwares muitas vezes dificulta a implantação das atividades. No entanto, com criatividade e apoio, muitas escolas brasileiras estão adotando o movimento maker e transformando o ambiente escolar.  É o caso da escola da ONG Projeto Âncora, de Cotia (SP). O “colocar a mão  na massa” e aprender de forma engajadora foi responsável, por exemplo, pela criação de um sistema de captação de água da chuva, depois que os alunos estudaram a crise hídrica que o estado viveu em 2015.
  • Games e Ludopedagogia: nativos digitais, os alunos que estão chegando às salas de aula já nasceram conectados. E por que não utilizar a tecnologia a favor da educação? Uma estratégia é incluir os jogos como ferramentas para resolver problemas práticos, gerar engajamento e comprometimento. Essa estratégia é utilizada pelo Colégio Sagrada Família, de Blumenau (SC). A instituição utiliza os jogos educativos da PlayTable para diversas ações dentro do ambiente escolar, que vão desde a alfabetização e fortalecimento do conteúdo apresentado em sala de aula, até desenvolvimento de habilidades motoras. Os games, desenvolvidos por uma equipe multidisciplinar, contribuem para transformar a escola num ambiente interativo, criativo e estimulante.
  • Projeto Escolas Transformadoras: a iniciativa global tem por objetivo reconhecer e apoiar instituições de ensino que adotam práticas inovadoras em seu dia a dia. Entre as entidades brasileiras está a Escola Comunitária Luíza Mahin, de Salvador (BA). Ela surgiu na década de 1990, de uma iniciativa dos moradores do Conjunto Santa Luzia, que sentiam falta de uma escola que valorizasse a cultura afro-brasileira presente na região. Todas as semanas os alunos participam de oficinas de arte-educação, que envolvem desde rodas de capoeira até artesanato. Existem ainda os projetos Roda de Conversa, que forma os jovens para o primeiro emprego, o Corredor da Poesia e outras ações que combatem a evasão escolar e auxiliam na formação dos alunos como cidadãos.
  • Gestão democrática em sala de aula: um lugar em que todos auxiliam na formação das regras e que a opinião dos alunos é tão válida quanto a de professores. Esse é o formato de trabalho da Escola Democrática Politeia, que busca estabelecer uma rotina para o bem comum. Debates, formação política, liberdade com responsabilidade e diversidade fazem parte das ideias da instituição.
  • Entre os melhores professores do mundo: quando falamos em inovação pedagógica, é impossível não destacar a importância do professor, que tem papel essencial neste processo. Graças ao desempenho desse profissional, alunos e entidades conseguem criar novas estratégias que fortalecem o ensino e a formação das crianças. E Wemerson da Silva Nogueira, de 26 anos, é um destes educadores que conquistou reconhecimento. Ele esteve entre os dez finalistas do prêmio Global Teacher Prize, que elege o melhor professor do mundo.
    A criação de um laboratório para aulas práticas na escola da periferia capixaba onde atua rendeu a ele a indicação. Além disso, a ação auxiliou a entidade a elevar a nota no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb). Outras inovações pedagógicas também fazem parte das aulas do professor: a tabela periódica é ensinada através de música e um aplicativo criado por ele ajuda os alunos a entenderem melhor a Química. Adepto ao movimento maker, ele criou junto com os alunos da Escola Estadual de Boa Esperança, no Espírito Santo, um filtro à base de areia que retira da água grande quantidade de manganês e ferro. Hoje 200 pessoas de Regência (ES) utilizam a invenção e conseguem aproveitar a água do Rio Doce, contaminada pelo rompimento da Barragem do Fundão, em Mariana (MG).

Comentários

Receba as nossas novidades

a gente promete só enviar notícias legais! ;)